6

 

após uns dias de luta

e quando vou deitar

a cabeça no

antigo travesseiro

feito pela minha mãe

 

adormeço

inconfortável

com as pedras

que coloquei

dentro dele

para que eu

nunca durma

o sono profundo

da consciência

quase limpa

 

e quem

partilha de meus sonhos

também tem pedras

nos travesseiros

 

e outros também

tem pedras

nos calcanhares

nos sapatos

nos rins

 

na garganta

 

partilho meus sonhos

com quem tem sonhos

para partilhar

 

com quem

fecha os olhos

e não vê escuro

 

com quem

escreve e anda

sobre as estradas

desconfortáveis

das utopias

Anúncios

2 Respostas to “6”

  1. Olá, obrigada pelas visitas ao Jazz e Suco de Limão. Bonito esse blog preto aqui. Poemas concisos e elegantes.
    bjs

  2. LINDO POEMA! e quando a gente é a própria pedra?ahauahauha
    muito mais pedras na direção certa irão se concretizar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: